OS Consultoria - (17) 3013-4898/3305-4898 - São José do Rio Preto/SP

Artigos e Notícias

5 motivos porque o profissional da indústria deve se especializar


23 de Março de 2016 - 10:25

Já tem bastante tempo que eu queria publicar um artigo no Blog Industrial falando sobre a educação continuada e os motivos que devem levar alguém a continuar estudando após a formatura da faculdade. Por ter tido a oportunidade de fazer uma especialização e um mestrado após a graduação, eu acho que tenho alguns pontos para compartilhar com você e o momento chegou junto com uma surpresa que conquistei para os leitores e leitoras do Blog Industrial que está guardada no final deste artigo.

Role a tela para baixo se tiver muita curiosidade, ou leia mais uns minutinhos para aproveitar melhor a surpresa.

1. Por uma necessidade legítima de aprender algo novo
Você pode querer continuar estudando formalmente para aprender algo novo, algo que agregue conhecimento legítimo baseado em uma necessidade observada ao longo da graduação ou mesmo algo que você julgue importante no seu trabalho atual ou futuro.

No meu exemplo, a minha formação superior é em engenharia de produção e logo que me formei eu queria abrir uma empresa que desenvolvesse um software de gestão. Como isso era algo que eu não havia aprendido na graduação, optei por fazer uma pós-graduação em gerência de projetos de software e a Nomus é a minha monografia constantemente em progresso.

Na indústria é muito comum um profissional com formação em uma engenharia mais técnica (mecânica, elétrica ou naval, por exemplo) ou com uma formação menos técnica (como administração ou economia) trabalhar na gestão da produção. Para esses profissionais, uma pós-graduação em engenharia de produção irá trazer ferramentas específicas para serem aplicadas diretamente no seu trabalho.

2. Por uma exigência do mercado de trabalho
Há muitos anos a graduação em um curso superior deixou de ser uma vantagem no currículo e passou a ser algo essencial: para a grande maioria das ocupações, as empresas nem olham o currículo do candidato se ele não for “formado” ou estiver em um curso superior em andamento. Se a graduação é um pré-requisito para o emprego e sem ela o mercado de trabalho não vai contratar você, a especialização obtida em uma pós-graduação irá trazer o diferencial para o seu currículo.

Mesmo que você tenha uma empresa ou queira empreender e abrir o próprio negócio, pode ser que o mercado imponha essa exigência de outras formas – não para assinar a sua carteira, mas para comprar seus produtos e serviços. Voltando ao meu caso, eu acredito que dificilmente a Nomus estaria produzindo software de gestão de qualidade caso eu e meu sócio Rafael Netto não tivéssemos feito a pós que mencionei acima.

Portanto, tenha certeza que a formalidade de um curso de pós-graduação irá forçar você a aprender a fazer coisas que sem não seria possível e esse aprendizado trará novas possibilidades de trabalho: promoção, mudança de emprego, abertura de um negócio, conquista de novos clientes, desenvolvimento de produtos etc.

3. Para dar aulas e compartilhar seu conhecimento
Se você tem prazer em compartilhar seu conhecimento entre os colegas de faculdade ou trabalho, pode ter certeza que dando aulas você irá além e conseguirá impactar positivamente um número muito maior de pessoas.

Apesar de eu não ter uma experiência profissional como professor, por ter feito o mestrado em engenharia de produção eu tive alguns convites para dar aula. Confesso que foi difícil recusar, pois a vontade de compartilhar todo o conhecimento que estava acumulando era muito grande.

Como já estava sobrecarregado com o desenvolvimento da Nomus, deixei o projeto de me tornar professor para outra etapa da minha carreira. Entretanto, com a criação do Blog Industrial eu estou conseguindo de outra forma levar meus aprendizados a outras pessoas. E como diria meu mestre Miguel de Simoni, citando Guimarães Rosa: “o verdadeiro mestre não é aquele que ensina, é aquele que de repente descobre que aprende”.

Tenho certeza que o meu mestrado me ajudou a desenvolver essa vontade de compartilhar o conhecimento e se você almeja ensinar outras pessoas, seja dentro da sala de aula, seja no dia a dia trabalhando em uma indústria, fazer uma pós é um caminho que eu recomendo muito – seja ela uma especialização ou um mestrado seguido por um doutorado.

4. Para desenvolver networking e amizades
Essa é uma das partes mais legais e interessantes em uma pós-graduação. Normalmente, durante a graduação a maioria das pessoas ainda não tem maturidade para pensar em networking e as amizades acabam se desenvolvendo por outros tipos de afinidade: você mora perto do colega, gosta de praticar o mesmo esporte, gosta de jogar sueca (lembrei da sueca!) etc.

Na pós-graduação, as amizades além de surgirem pela empatia e pela afinidade, também se desenvolvem porque é possível perceber em um ou outro determinado colega que você pode ajudá-lo profissionalmente, ou vice-versa. E é impressionante a boa vontade que um colega de pós-graduação tem para de ajudar. Eu acabei criando uma afinidade muito grande com um colega de pós, que acabou se tornando um grande amigo, o Marcus Vinícius Sammartino e ele foi fundamental no início da Nomus, me ajudando a selecionar os primeiros profissionais da empresa.

Quando começar a pós, veja de todas as maneiras possíveis como ajudar seus colegas que com certeza você irá desenvolver algumas das melhores amizades da sua vida e certamente elas irão de alguma forma ajudar você profissionalmente também.


Autor: Pedro Parreiras
Fonte: http://goo.gl/LLXO7V