OS Consultoria - (17) 3013-4898/3305-4898 - São José do Rio Preto/SP

Artigos e Notícias

4 Passos para diminuir a distância entre o projeto e o PCP


2 de Fevereiro de 2016 - 11:51

1- Padronização do Part Number, ou codificação dos produtos
Acabei de ser pai de uma linda menininha, e após viver as emoções do parto tive que registrar minha filha em um cartório, a fim de diferenciá-la das demais crianças, sabendo que sendo tarefa uma obrigação dos pais. Esse exemplo é bem semelhante quando criamos um produto, onde deve-se sempre registrar o produto para não ser confundido com outros. Porém, essa obrigação do Projeto de “batizar” o produto em uma indústria é um pouco mais complicada, acontecendo em alguns casos erros como:
O Projeto batiza o produto com Part Number e o PCP batiza o produto novamente perdendo a rastreabilidade do processo.
O Projeto simplesmente não batiza o produto deixando essa tarefa para outro setor.
Não há preocupação na criação de PartNumbers de produtos intermediários.
Não há uma inteligencia na codificação ou criação do PartNumbers.
Quando há produtos semelhantes, mesmo desenho técnico, porem muda a materia prima. Algumas empresas mantem o PartNumber ocasionando erros de rastreabilidade no processo.

2-  Exportação da lista de materiais (BOM) para o sistema ERP
No software CAD (do inglês: computer aided design) deve conter os dados completos do produto, mas a informação principal é o partnumber do produto e unidade de medida do produto. A sua indústria pode utilizar inúmeros softwares CAD como o SolidWorks, SolidEdge, Inventor, Tecnometal e etc, mas se não tiver uma metodologia para criar seus produtos os dados da BOM ( Bill of Material ) exportados não servirão para nada.
Muitas empresas não utilizam esta automação por falta de padronização, conhecimento ou ferramenta. Sim, é muito importante ter tanto o software CAD que possibilite a exportação dos dados do projeto de forma sistémica quanto ter um ERP que possibilite importar e tratar os dados automatizando a criação da BOM. (Lista de materiais)
Muitos dos nossos clientes da contrução metálica utilizam esse conceito, o fato do produto acabado ter milhares de produtos intermediários indica que esse processo de automação é um diferencial para esse segmento industrial.
Por isso, na hora de escolher seu software CAD você deve verificar se ele:
Possibilita o cadastro de informações como PartNumber e descrição do produto
Se ele exporta a BOM de forma sistemática, em um formato de planilha eletrônica.(csv, xls, old)
Se é facil criar uma padronização na modelagem de seus produtos.
Para uma boa escolha do ERP, você deve procurar saber:
Se ele consegue importar e tratar a planilha eletrônica com as informação da BOM.
Se gera de forma automatica todos os vínculos para criação da lista de materiais a fim de criar as ordens de produção, MRP e controle de estoque.
Veja mais: Descubra os impactos da lista de materiais no PCP na sua indústria

3- Reunião de Kick-off
A reunião de Kick-off ( Pontapé inicial ) é a reunião de lançamento do projeto no qual a equipe de engenharia é responsável por apresentar o projeto ao demais stakeholders (Setores envolvidos) .
Quando não há essa apresentação, é possível que apareçam ruídos entre a Engenharia e o PCP, pois muitas dúvidas iniciais precisão ser resolvidas. Além da motivação da equipe com um novo projeto e alinhamento das expectativas do cliente.
Outro ponto a ressaltar nesse tópico é que a reunião deve ser estruturada para não sair do “foco” levantando outros assuntos. Então prepare bem o escopo da reunião que basicamente é:
Objetivo do projeto
Escopo Macro
Riscos
Responsabilidades
Datas de entrega
Requisitos de qualidade

4- Invista em Recursos Humanos
O capital humano é o bem mais valioso de uma empresa, pois para qualquer processo dar certo é necessário que as relações entre os setores, ou seja, as pessoas, devem estar em plena harmonia.
Por isso alguns métodos para que os setores interajam colaborativamente devem ser criados, motivando e conquistando a parceria dos colaboradores de uma fábrica.
Um dos problemas que encontramos em muitas indústrias durante nossos anos de consultoria é realmente esse. Se você conseguir gerir sua equipe de uma forma que ela compreenda que os setores internos não são competidores mas sim aliados e fazem parte do mesmo time, os resultados serão mais evidentes.
Escutamos muito “não quero fazer isso para facilitar o trabalho dele” e esse sentimento deve ser excluído da equipe, partindo da liderança. Entendendo que quando se passa a “bola redonda” é mais fácil de fazer o gol, o que leva todos ao objetivo comum.
As dificuldades de relacionamento entre setores são mais comuns do que você pensa. Logo, inserir atividades conjuntas e reuniões de conscientização de trabalho em equipe fará toda a diferença.
Há alguns meses participei de um evento promovido pela Sorvete Brasil a fim de diminuir essa lacuna entre os setores da empresa. Em um espaço gourmet, a equipe toda foi reunida e resolveram cozinhar juntos, mesmo com muitas pessoas sem experiência na cozinha. Fizemos um risoto de bacalhau magnifico, pois houve cooperação da equipe (cada um com sua função determinada pelo chef) e uma orientação de um chef de cozinha profissional (liderança). A lição aprendida por todos foi que quando fazemos algo motivados, com colaboração de todos e uma orientação profissional, chegamos a resultados magníficos.


Autor: Thiago Leão
Fonte: http://goo.gl/zIJnwR