OS Consultoria - (17) 3013-4898/3305-4898 - São José do Rio Preto/SP

Artigos e Notícias

GUIA COMPLETO: FERRAMENTAS DA INDÚSTRIA 4.0 – GANHOS E CUIDADOS!


6 de Janeiro de 2020 - 14:13

Gestores e empresários que ainda não inseriram a Indústria 4.0 na sua produção, administração de recursos e controle estão, definitivamente, deixando escapar vantagens competitivas fundamentais.

A competição entre empresas nacionais tornou-se globalizada com o surgimento da internet e seus desdobramentos. Isso quer dizer que uma pequena loja no interior de São Paulo pode montar um e-commerce bilíngue que entrega nos EUA, por exemplo.

A automação e a tecnologia vieram para agregar valor a produção, diminuir custos, otimizar tempo e pessoal. Além, é claro, de aumentar os rendimentos. Mas, como você percebeu esse pacote de vantagens tem seu ônus: Alta Competitividade!

Uma das formas de conseguir se destacar no mercado é saber o que são e como usar as principais ferramentas da Indústria 4.0. E não basta apenas comprar um software e esperar que os resultados apareçam.

Se você tem feito isso esse artigo vai lhe trazer novas visões sobre a Indústria 4.0.

Quer aprender tudo sobre as principais ferramentas e ainda ganhar 4 dicas valiosas?

Então vamos lá.

Boa leitura!

O que é a Indústria 4.0

Nós já formulamos um Guia da Indústria 4.0 bastante completo para você. Então, o objetivo deste tópico é apenas relembrá-lo de alguns pontos principais.

Caso queira se aprofundar, ou este é o seu primeiro contato com o termo Indústria 4.0 acesse o artigo abaixo:

Indústria 4.0

Quando o cenário mundial sofre alterações estruturais significativas, costumamos chamar, na história, de revoluções. Temos, portanto, a Primeira Revolução Industrial trazendo as locomotivas a vapor como o carro chefe da revolução.

Já, no século XIX, o petróleo e a energia elétrica revolucionaram todo o processo produtivo. E esta foi chamada de 2.ª Revolução Industrial.

No século XX a internet deu início a 3.ª Revolução Industrial, e a globalização conseguiu encurtar as distâncias entre os países, clientes e fornecedores, insumos e produtos industrializados.

Mas, nos últimos anos, as mudanças passaram a ocorrer em um ritmo muito mais acelerado, e não há como negar que houve um grande salto produtivo com a robótica, simulações, impressoras 3D, integrações e os analytics.

Chamamos esta última onda de significativas transformações de 4.ª Revolução Industrial, ou Indústria 4.0

Fundamentos

Como toda revolução, a Indústria 4.0 tem alicerces, objetivos e fundamentos muito próprios. Neste tópico falaremos sobre alguns deles, e você vai notar que a 3.ª Revolução e a Internet são os pais das novas ferramentas da Indústria 4.0 e de seus fundamentos.

A 4.ª Revolução Industrial utilizou a internet para conectar e integrar os processos e tornar os sistemas de produção mais inteligentes.

Comunicação em tempo real

Um dos fundamentos, portanto, é o "online", ou tempo real dos procedimentos. Muitas ferramentas da Indústria 4.0 utilizam dos sistemas das empresas para potencializar a comunicação em tempo real.

Estar online e manter esta comunicação é fundamental para minimizar erros no processo produtivo, antecipar dores e dificuldades dos setores. Este fundamento é muito importante na parte estratégica da produção.

Afinal, ao analisar os dados, respostas e informações assim que elas ocorrem é possível criar estratégias muito mais eficientes.

Descentralização

Antigamente o processo produtivo, desde sua cadeia de suprimentos até a entrega ao cliente final, precisava ocorrer em uma circunferência rígida. Afinal, a localização era uma das maiores preocupações em relação aos gastos ocasionados.

Portanto, em uma mesmo local costumavam ficar a fábrica, a equipe de estratégia, os gestores, etc. Com a Indústria 4.0 é possível descentralizar os processos decisórios.

Inclusive algumas ferramentas da Indústria 4.0 podem tomar decisões básicas e, claro, programadas.

Virtualização

Este terceiro fundamento tem ligação direta com os dois anteriores. Um dos funamentos no qual as ferramentas da Indústria 4.0 são baseados é no da virtualização. Isso quer dizer tornar o processo produtivo virtual.

A principal ferramenta deste fundamento é a simulação. É possível, portanto, testar e visualizar através de simuladores como que as estratégias funcionarão na prática.

Você deve ter notado que a Indústria 4.0 mescla o real com o virtual para tornar o processo mais profissional e assertivo. Além, é claro, de minimizar o tempo e os custos de produção.

Principais ferramentas da Indústria 4.0

Agora que você já sabe, resumidamente, o que é a 4.ª Revolução Industrial e seus fundamentos, ficará mais simples compreender o funcionamento das ferramentas da Indústria 4.0.

Lembre-se, ao analisar essas tecnologias abaixo, que elas foram criadas para tornar palpáveis os fundamentos acima.

Segundo o Ministério da Indústria Comércio e Serviços, as ferramentas da Indústria 4.0 estão divididas da seguinte forma:

  • Manufatura Aditiva;
  • IA – Inteligência Artificial;
  • IoT – Internet das Coisas;
  • SynBio – Biologia Sintética e
  • CPS – Sistemas Ciber Físicos.

Estas são as 5 categorias básicas, mas vamos falar abaixo sobre algumas das principais ferramentas – e não das categorias como um todo.

Internet das Coisas (IOT)

Essa é uma das ferramentas da Indústria 4.0 que gera bastante dúvida devido ao termo não ser tão abordado em notícias, como é o caso da robótica e simuladores, por exemplo. Mas a sua definição é bastante simples.

A Internet das Coisas torna objetos que não possuem autonomia (máquinas, carros, etc) em objetos inteligentes, ou com poder de decisões. Por exemplo, um carro precisa de um piloto, correto?

A IOT, através dos seus mecanismos, criou a possibilidade de carros inteligentes, que freiam antecipadamente ao identificar objetos e pessoas. Existem programações de freio, pausa, aceleração, alteração de rota, etc.

Dentro das indústrias temos máquinas com programação para volume, densidade, quantidade e tempo de etapa. A IOT tornou os processos menos custosos, mais rápidos e profissionais.

Simulação

A simulação e a robótica são ferramentas da Inteligência Artificial. No caso dos simuladores é possível antecipar reações e resultados antes de colocar as estratégias em prática.

Há algum tempo, os testes procuravam, através de muitas amostras e variações, fazer previsões de como as máquinas funcionariam em determinados cenários e com determinadas programações.

Hoje é possível usar um simulador com muitas das variáveis da vida real, e este é um campo com bastante possibilidade de crescimento. A simulação, portanto, tenta imitar a realidade, sem os custos de se colocar um projeto experimental em prática.

Robótica

Como mencionado anteriormente, a robótica faz parte do pacote de IA. E para aqueles que ainda pensam que isso é uma invenção do futuro veja o vídeo abaixo:

Robótica na Indústria 4.0

Como você pode notar os robôs não são apenas aqueles com aparência semi-humana como nos filmes. Eles são como máquinas mais desenvolvidas, com articulações e movimentos que se assemelham aos dos humanos.

Claro que existem os robôs como os abaixo:

Mas dentro do processo produtivo a robótica tem por objetivo automatizar processos. Muitos robôs, inclusive, não precisam de um supervisor para realizar as tarefas programadas.

Atualmente existem robôs que fazem parte de uma cirurgia, por exemplo, devido à alta precisão dos seus movimentos.

Esta ferramenta além de diminuir custos e automatizar etapas, agiliza o processo de produção. O que, naturalmente, aumenta os rendimentos e otimiza


Autor: FABIO HOINASKI
Fonte: https://www.ibid.com.br/blog/guia-ferramentas-da-industria-4-0/?utm_campaign=newsletter_-_fundo_de_funil_segunda_parte_-_22_-_guia_completo_ferramentas_das_industrias_40_-_ganhos_e_cuidados&utm_medium=email&utm_source=RD+Station